Tradução em andamento do livro “A Dispensational or a Covenantal Interpretation of Scripture - Which is the Truth?” por Bruce Anstey
Este livro encontra-se em processo de tradução, portanto para uma leitura mais ordenada sugiro que comece pela postagem mais antiga no Arquivo da coluna da direita.

A DISPENSAÇÃO DA PLENITUDE DOS TEMPOS

A DISPENSAÇÃO DA PLENITUDE DOS TEMPOS

A terceira grande dispensação ainda é futura; trata-se da “Dispensação da Plenitude dos Tempos” (Ef 1:10). Esta será uma designação especial de Deus para com os homens durante o reino público de Cristo no Milênio — o reino de mil anos de Cristo. Naquele dia o remanescente de Israel restaurado e muitas nações gentias desfrutarão de uma porção terrenal de bênção sob Cristo e a Igreja. A administração de toda aquela esfera estará nos céus, encabeçada por Cristo e pela Igreja por sobre a terra. Isto está indicado em Efésios 1:10 na expressão “no Cristo”. Geralmente, quando nos escritos de Paulo o artigo “o” é colocado antes de “Cristo” (como em “no Cristo”) isto indica a união mística entre Cristo, a Cabeça, e os membros de Seu corpo (1 Co 12:12-13). [N. do T.: A passagem de Efésios 1:10 na versão Almeida traz “em Cristo”, mas o correto seria “no Cristo”, como aparece na versão de J. N. Darby e na tradução literal de J. N. Young].
O que é notável acerca destas três dispensações (ou administrações) da casa de Deus é que existe uma notável diferença entre a Dispensação do Mistério e as outras duas que vêm antes e depois dela. A Dispensação da Lei e a Dispensação da Plenitude dos Tempos são administrações que têm a ver com povos terrenos, enquanto a Dispensação do Mistério, encaixada entre as outras duas, é uma administração envolvendo uma companhia celestial de pessoas — a Igreja. A ordem dessas administrações no tempo são como as três partes de um “Biscoito Oreo” recheado. As duas dispensações externas (como se fossem as duas partes externas do biscoito) são administrações relacionadas à terra, enquanto a dispensação do meio (o recheio no exemplo do biscoito) pertence ao povo celestial. A verdade é que quanto mais estudamos a Dispensação do Mistério, mais iremos ver o quão diferente ela é das outras duas.
Como já foi mencionado, a Dispensação do Mistério é uma vocação celestial intercalada que tem a ver com a Igreja. No momento atual as tratativas de Deus com a nação de Israel estão suspensas e, por meio do evangelho da Sua graça, Deus está chamando os crentes para fora, para fazerem parte da Igreja. Depois Deus voltará a tratar com Israel e introduzirá na bênção um remanescente de todas as doze tribos, juntamente com as nações gentias que serão abençoadas sob Israel no reino milenial de Cristo. Portanto, uma mudança ocorreu nas maneiras dispensacionais de Deus agir, da Lei para a Graça ministrada agora no Mistério. Haverá ainda outra mudança, do Mistério para o Reino, quando vier a Revelação ou Manifestação de Cristo.
Disto aprendemos que Deus não tem apenas o propósito de ter um povo abençoado com Cristo na terra naquele dia vindouro da glória do reino, mas que também deseja ter um povo abençoado com Ele no céu.


Postagens populares